menu
spacer
menu Home  
 
  NOTICIAS recentes

Daniel Jordão, Roberto Borrego e Santinho Mendes triunfam no Pinhal

fotoCampeonato Nacional de Todo-o-Terreno 2019
Baja TT do Pinhal
22 a 24 de março


Daniel Jordão em Yamaha nas motos, Roberto Borrego em Yamaha nos Quad e Pedro Santinho Mendes em Can-Am nos SSV triunfaram na Baja TT do Pinhal segunda etapa do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno que se disputou em pistas dos concelhos da Sertã, Proença-a-Nova e Vila Velha de Rodão.

Daniel Jordão estreia-se a vencer

Vencedor do prólogo em Góis e posteriormente da corrida, Salvador Vargas aos comandos de uma KTM começou por ser o vencedor do prólogo das motos se bem que pela diferença mínima de 0,1s. Na segunda posição colocou Domingos Santos a moto de fabrico português AJP que o piloto de Campo Maior tinha estreado em Góis. Um protótipo que deverá iniciar produção no final deste ano de 2019. O 3º tempo obtido por Bernardo Megre em Husqvarna a 9,9s do vencedor permitiu-lhe vencer a Classe TT1. Com uma quarta moto de marca diferente, Daniel Jordão em Yamaha venceu a Classe TT2 e terminou no 4º lugar absoluto.
No segundo dia de prova seria o piloto da Franco Sport, Daniel Jordão, a assumir a liderança da Baja TT do Pinhal disputados que foram os 191 km de setor seletivo. O piloto da Yamaha WR 450, líder da classe TT2, dispunha então de uma vantagem de 4m14s sobre Bernardo Megre que liderava a classe TT1.
Menos feliz fora Salvador Vargas, que abriu a pista depois da vitória no prólogo, mas que vítima de uma saída de estrada perdeu muito tempo a retirar o arame farpado que se enrolou na roda da sua KTM.
Após a 3ª etapa Daniel Jordão foi o grande vencedor da prova organizada pela Escuderia de Castelo Branco. O piloto da equipa Franco Sport venceu também a Classe TT2 e passou para a liderança do Campeonato à frente de Salvador Vargas que, em KTM, tinha ganho a prova de abertura em Góis e que aqui se quedou pela terceira posição a 6m38s do vencedor, triunfando, todavia, na Classe TT3.
Na segunda posição, e melhorando a posição de Góis, Bernardo Megre aos comandos de uma Husqvarna venceu a Classe TT1 e conserva a 3ª posição do campeonato absoluto. Bernardo Megre foi o mais rápido no derradeiro setor seletivo onde ganhou 1m32s a Daniel Jordão tendo terminado a corrida com 2m42s de desvantagem para o vencedor.
O estreante Gonçalo Amaral, filho do consagrado Rodrigo Amaral, terminou em 4º lugar com uma Honda que levou ainda à 2º posição na Classe TT1, ao 2º lugar na Classe Júnior ganha por Salvador Vargas e à vitória na Classe Promoção.
Com Jorge Brandão na 5ª posição e o francês Benjamim Melot em 6º, o melhor dos estrangeiros, ambos em KTM, a lista dos vencedores desta prova completa-se com o triunfo de Armindo Neves entre os Veteranos aos comandos de uma SWM e de Rita Vieira em Yamaha entre as senhoras.

Regresso vitorioso de Roberto Borrego
Nos Quad e de regresso às competições do Campeonato Nacional, Roberto Borrego (Yamaha) confirmou o seu favoritismo realizando o melhor tempo absoluto de entre as três disciplinas com 8m34,6s. Na segunda posição e a defender nesta prova do Pinhal o seu título mundial de bajas Arnaldo Martins em Suzuki gastou mais 5,3s. O terceiro lugar foi ocupado por outro piloto que se apresentou aos comandos de uma Suzuki, a saber Luis Pimenta que gastou mais 40,9s que o vencedor.
Roberto Borrego manteve a liderança no segundo dia de prova apesar das dificuldades sentidas durante a etapa. O piloto do Quad Yamaha tinha então uma vantagem de 2m32s para o campeão Arnaldo Martins. Após os 191 km de SS1 Luís Engeitado era o 3º classificado
O regresso de Beto Borrego às competições foi-o também aos triunfos pese as várias dificuldades pelas quais passou.
O 2º lugar de Luís Engeitado que, tal como o vencedor, se apresentou aos comandos de uma Yamaha permite-lhe ser o novo líder do Campeonato Nacional. 3º posição para o eslovaco Juraj Varga também em Yamaha.

Santinho Mendes foi mais forte
Com três dias de prova e quase quatro centenas de quilómetros disputados ao cronómetro, a Baja TT do Pinhal foi a segunda prova da temporada, mas o primeiro grande teste à resistência de pilotos e máquinas do CNTT.
Com vitória de Pedro Santinho Mendes, a prova organizada pela Escuderia Castelo Branco permitiu identificar um núcleo de candidatos ao título que se mantiveram firmes nas primeiras posições das duas provas já disputadas.
A dupla de pilotos da SGS Car dominou por completo o prólogo com Pedro Carvalho a ser 4,4s mais rápido que o seu colega de equipa João Dias. Estes dois pilotos foram ainda os mais rápidos da Classe Open do Troféu Can-Am.
Com um Can-Am da Classe Stock o campeão nacional João Monteiro realizou o 3º tempo a 7,2s do vencedor. Com apenas 17 anos Gonçalo Guerreiro foi o 4º mais rápido e venceu a Classe Júnior. 5º lugar para mais um Can-Am, o de Pedro Santinho Mendes enquanto que na 6º posição colocou-se o vencedor da prova de abertura Vitor Santos que foi o mais rápido da Classe Veteranos.
No dia seguinte os concorrentes tiveram pela frente um troço com 191 quilómetros onde a liderança começou por pertencer a Vitor Santos, mas a meio do setor o mais rápido passou a ser Pedro Santinho Mendes que terminou o dia no 1º lugar. Na 2ª posição ficou Vitor Santos com mais 1m40s.
A anteceder os dois Can-Am da SGS Car, que dominaram o prólogo, colocou-se em 3º lugar o campeão nacional João Monteiro. Luís Cidade encerrava este grupo de pilotos todos com uma desvantagem inferior a 3 minutos para o líder da prova.
O terceiro dia de prova começou com um ataque fortíssimo de João Dias que nos primeiros 50 quilómetros já tinha recuperado 4m25s ao líder da prova e subido 7 posições depois de na véspera ter sofrido uma penalização de 10m.
Ao km 100 era, todavia Mário Franco em Yamaha o mais rápido em prova. Por essa altura Pedro Santinho Mendes tinha a liderança da corrida presa por escassos 3s, mas o piloto do Can-Am Off Road Portugal iria conseguir alargar essa vantagem até ao final dos 173 km de SS. Vitor Santos terminou na 2ª posição com mais 2m50s e manteve a liderança do Campeonato. A 3ª posição foi para o seu colega de equipa The Racing Factory / Speedfreak, o brasileiro Aristides Júnior.
Nas três posições seguintes outros tantos Can-am Maverick. João Monteiro do Sharish Gin Racing Team vencedor da Classe stock do Troféu Can-Am antecedeu João Dias, um dos grandes animadores da prova, e Marco Pereira que foi o mais rápido deste último dia de corrida.
No Top 10 ficaram mais quatro Can-Am marca que ocupou a 14 primeiras posições. Pedro Carvalho (SGS Car Racing) foi 7º à frente da grande novidade desta corrida Sérgio Batista (Benimoto) antigo piloto de Trial que na estreia de SSV terminou no 8º lugar. José Garcia com um excelente início de temporada e o brasileiro Cristiano Batista encerram este Top 10.
A estreia do Polaris RZR RS1 não podia ter corrido de melhor forma. O também estreante Tiago Guerreiro (JB Racing / Rich) concluiu a corrida na 14ª posição vencendo de uma assentada o Troféu Polaris a Classe TT2 e foi o primeiro não Can-Am da classificação absoluta.

Classificação do Campeonato

MOTO
Absoluto: 1º Daniel Jordão, 45; 2º Salvador Vargas, 41; 3º Bernardo Megre, 36; 4º Jorge Brandão, 21; 5º Tiago Santos, 21; 6º Luís Albuquerque, 15; 7º Domingos Santos e Gonçalo Amaral, 13
TT1: 1º Bernardo Megre, 50; 2º Tiago Santos, 36; 3º Rui Cebola, 24; 4º Diogo Pais, 23.
TT2: 1º Daniel Jordão, 50; 2º Jorge Brandão, 36; 3º Luís Albuquerque, 29; 4º Bruno Casquinha, 23; 5º Armindo Neves, 22
TT3: 1º Salvador Vargas, 50; 2º Paulo Cardoso, 26; 3º Nelson Vassalo, 29; 4º Domingos Santos, 20

QUAD
Absoluto: 1º Luís Engeitado, 40; 2º Arnaldo Martins e Roberto Borrego; 25; 4º Luís Pimenta

SSV
Absoluto: 1º Vítor Santos, 45; 2º Pedro Santinho Mendes, 35; 3º João Dias, 31; 4º João Monteiro, 26; 5º Pedro Carvalho, 25; 6º Aristides Júnior, 20; 7º Nuno Fontes, 14; 8º Pedro Grancha, 11; 9º Marco Pedreira e José Garcia, 10.
TT2: 1º José Manescas, 41; 2º Eric Steichen, 40; 3º David Gomes, 29; 4º Tiago Guerreiro, 25; 5º Paulo Figueiredo, 21; 6º Paulo Fernandes, 19.
Ver todas »
os nossos CLIENTES
a sua NEWSLETTER
  © 2006 A2 comunicação. Todos os direitos reservados