menu
spacer
menu Home  
 
  NOTICIAS recentes

Excelente início, não teve sequência

foto
Transmissões do Bowler Wildcat, na origem da desistência
 
A entrada do Dakar, em pistas da Mauritânia, foi fatal para as aspirações do Team Tanqueluz, no Euromilhões Lisboa Dakar 2007. Sucessivas quebras de transmissão, uma das quais ao km 19 da sétima etapa, obrigaram o par Lino Carapeta e Ricardo Cortiçadas, a renunciar à corrida. Depois de um início excelente de prova, o piloto do Bowler Wildcat fica assim impedido de repetir o sucesso alcançado em 2006, ano de estreia, em que levou o carro até Dakar. “Foram vários os avisos e não me quis arriscar a perder o carro, numa etapa com todos os ingredientes para isso acontecer”, lamentou o piloto.
 
A equipa teve um excelente inicio de prova, ao colocar o Bowler Wildcat no primeiro lugar entre os seus pares de motorização diesel, logo na primeira etapa do Euromilhões Lisboa Dakar 2007. O balanço em solo nacional não podia ser melhor. O Team Tanqueluz era 42º no final da segunda etapa e no dia anterior tinha feito o 47º melhor tempo da geral. Mas, a entrada do Euromilhões Lisboa Dakar 2007 em África, não trouxe bons augúrios à equipa. Logo no decorrer da primeira etapa em pistas marroquinas, o par Lino Carapeta e Ricardo Cortiçadas foi, por duas vezes, obrigado a parar, na sequência de furos. Era um mau começo, para a equipa, em solo africano e um primeiro aviso.
 
A segunda etapa marroquina foi um verdadeiro martírio. Foram obrigados a parar dezenas de vezes, para desatascar o seu Bowler Wildcat combalido pela quebra de uma transmissão. Mesmo assim a equipa conseguiu cumprir a etapa sem penalizar, o que aconteceu por escassos quinze minutos. “Foi o calvário. Parámos mais de 500 vezes. Só faltou pegar no carro ao colo e vir a pé. No meio do azar tivemos a alegria de completar a etapa dentro do tempo limite, o que nos safou de forte penalização”, explicou o piloto.
 
A derradeira especial marroquina voltou a não correr bem para o Team Tanqueluz, apesar de um excelente inicio na etapa. A equipa tinha esperanças que, a entrada da Mauritânia, trouxesse uma lufada de ar fresco à competição, mas problemas continuaram a perseguir a equipa e a solução mais sensata foi mesmo colocar um ponto final no Lisboa Dakar 2007 e começar a pensar no de 2008. Apesar da desistência, a equipa irá prosseguir até Dakar, fazendo diariamente o trajecto destinado às assistências.
« Voltar
os nossos CLIENTES
a sua NEWSLETTER
  © 2006 A2 comunicação. Todos os direitos reservados